Carta zen 4 -As leis do karma

04 de Abril de 2009,
Bom dia a todos!
Como disse da ultima vez, vamos ainda continuar pensando a respeito de karmas. Acho impotante que possamos aprofundar um pouco mais neste conceito tão fundamental para a compreensão do significado de estarmos vivos, encarnados.
As leis do karma não são, como o nome poderia sugerir, um conjunto de regras sobre karma. Elas seriam mais bem definidas como situações com as quais o homem, por ter karma, não podera deixar de defrontar. De uma ou de outra maneira ja citamos falamos dessas leis; contudo, achei interressante esquematizar quais são elas.
São quatro essas leis:
Lei da necessidade
O karma é uma necessidade. Sua existência permite ao espirito guardar erros passados, deixando estacionado tudo aquilo que houve de nocivo e que precisa ser em algum momento compreendido. A presença do karma é util à alma, permitindo-lhe que no futuro tenha nova oportunidade de aprender com as dificuldades da vida presente ou anterior. Sem o karma, tudo o que a alma fizesse de errado estaria perdido e ficaria como uma energia dispersa sobre a humanidade. Assim, pelos acumulos produzidos, o karma é algo necessario para a evolução espiritual e esta ligado a uma determinada pessoa (ou familia ou nação), que tem responsabilidade sobre a negatividade produzida.
2.Lei da responsabilidade
Todo espirito tem responsabilidade pelos seus acumulos karmicos, ficando ligado a eles desde a sua produção. Não ha como passar adiante essa tarefa individual, pois ela so tem utilidade para o espirito que criou determinado laço karmico. Essa lei rege as tarefas que terão de ser realizadas em cada encarnação e é um importante fator nas decisões do espirito que se prepara para reencarnar. As exigências da alma virão impressas no inconsciente e despertarão sensações e intuições diversas durante as vidas presente e futura.
3.Lei da transformação
Todo karma é passivel de mudanças. O fato de estar em constante transformação é uma caracteristica positiva na constituição do karma de um espirito. Quando um karma fica estacionado é porque o espirito se recusa a aprender suas lições. Na série de mutações que um karma sofre, a atenção deveria estar em eliminar acumulos de karma sem criar novos laços, pois novas produções terminam por manter o karma com semelhante carga energetica, e a libertação fica cada vez mais distante.
4.Lei da liberação
Cada laço karmico tem uma maneira propria de ser eliminado. A lei da liberação afirma que todos eles podem ser desfeitos. Não ha situação karmica que não possa terminar. Os acumulos karmicos mais dificeis fazem com que a alma evolua mais; por isso, enfrenta-los é sempre de grande valia. E’ interessante acrescentar que todo elo karmico, ao ser compreendido, se desfaz naturalmente com a ação. Podemos concluir que o espirito compreensivo e paciente tera mais facilidade para se livrar de um laço do que aquele que se revoltar contra sua situação karmica.
Obstaculos à liberação dos acumulos karmicos
Ainda que deseje conscientemente trabalhar as dificuldades geradas pelo karma, o espirito encontra muitos obstaculos para atingir esse intento. Selecionamos as cinco maiores dificuldades para fazer delas uma analise mais cuidadosa, pois, tendo consciência da existência desses impedimentos, fica mais facil ultrapassa-los. São eles: o desconhecimento da realidade, a personalidade egoista, o apego à vida, a atração, a aversão.
O desconhecimento da realidade mantém o homem atado à roda do resnascimento. Ele impede que os verdadeiros poderes da alma se desenvolvam, por isso o homem não consegue enxergar sua natureza divina. E aquele que não se vê como uma parcela de Deus é passivel de acreditar que é sofredor, impuro ou inferior, crendo que sua existência é transitoria. Ignorar é confundir e não conseguir discriminar entre o real e o não-real, sendo presa facil do desejo e da ilusão, que os indianos chamam de maia.
Quando o homem pensa que sua forma material é a unica existente, ele é presa da ignorância, que podera perdurar por varios ciclos reencarnatorios. Ao conseguir desenvolver pensamentos mais evoluidos, começa a indagar porque a alma existe e porque ela tem que se limitar a condições de tempo e de espaço, presa a um corpo material. Essas duvidas, e outras, levam o homem a buscar respostas; assim, ele podera escapar da ignorância primaria que o envolvia. O despertar acontece ao espirito depois que anteriormente ja aconteceu no corpo fisico e na mente. E’ nesse momento que o homem da o primeiro passo em suas buscas intimas, conseguindo vencer o desconhecimento e dedicar-se às atividades espirituais que lhe permitirão queimar seu karma e, bem mais tarde, escapar da roda dos renascimentos.
A personalidade egoista é uma manifestação do « eu » exagerado, que faz o homem se enxergar como algo separado do resto de seus semelhantes. Ela é a negação da divindade interior, afastando a personalidade de suas ligações com Deus e tornando o ser humano sofredor, pois ele se julga impuro e inconstante.
As caracteristicas da personalidade egoista são:
_a pessoa usa apenas o corpo fisico e a mente para compreender aquilo que a cerca, ficando limitada às impressões dos cinco sentidos.
_Identifica-se quase somente com o seu proprio prazer
_Não consegue ver os fatos pela perspectiva do outro
_Ainda não aprendeu a servir
_Ainda não sabe ser caridosa
_Tem um ego limitador, pois não investiga suas razões mais profundas
para libertar_se de um ego exacerbado, é preciso ter contato com o mundo espiritual, corrigir suas falhas internas e eliminar a personalidade concentrada em si. E esse é um processo involutivo, pois exige que a pessoa saia da vida da periferia para investigar o interior, onde esta o seu espirito.
Ao fazer desaparecer o senso da personalidade forte, é possivel alcançar as capacidades extra-sensoriais, que irão libertar a consciência das ilusões. Esse processo é progressivo e pode levar mais de uma vida para ser completado; porém, so quebrando os elos do egoismo é possivel pensar em eliminar o karma.
O apego à vida é um primeiro impulso natural, pois a preservação da vida é uma lei natural. Quando o forte desejo de viver se acentua em demasia, surge a vontade de ser eterna, que gera o apego à vida. Essa vontade de ser eterna origina-se da pouca compreensão da lei de impermanência, que determina que tudo o que existe no mundo da matéria termina um dia.
E’ evidente que ha outros fatores que desenvolvem o apego à vida, e entendê_los podera ajudar na analise desse fator de impedimento à libertação do karma. São eles:
_O medo da morte
_as duvidas acerca da vida espiritual
_O medo de perder a propria identidade
_a excessiva ligação com os prazeres dos sentidos
_A atração por aquilo que causa alegria
Esse tipo de impedimento é quase impossivel de ser eliminado, consegue-se muito ao diminuir sua intensidade. Na verdade, ele so desaparece totalmente nas almas mais sabias que, quando alcançam o total desapego à vida, desencarnam em poucos dias.
A atração é outro fator de impedimento na eliminação do karma, pois exige a repetição constante de um mesmo acontecimento, escravizando e limitando o espirito à busca de um prazer ou alegria que deseja ver interminavelmente prolongados.
Como acontece isso? Ha fontes internas de felicidade que foram perdidas pela alma. Alguns espiritos guardam uma vaga lembrança dessas fontes, o que lhes causa nostalgia e induz o homem que abriga um espirito com essas intuições a sentir vontades indefinidas de resgatar um paraiso perdido. Acontece isso, por exemplo, com aquele executivo que larga tudo e vai viver numa aldeia de pescadores. Ele esta procurando resgatar a felicidade original com que cada espirito foi dotado, e sente, no intimo, anseios indefinidos de que ela realmente existe.
Essa felicidade inata e interior é algo simples, mas uma vez perdida, força o homem menos esclarecido a tentar revivê-la em algo exterior. Qualquer coisa que traga em si alguma alegria passa a ser extremamente atraente. A pessoa se prende à outras pessoas, à comida, ao trabalho satisfatorio, às posses materiais. Todo sabado, nas grandes cidades, bandos de compradores de felicidade invadem os shoppings.
Para se libertar da atração, o primeiro passo é investigar se qualquer alegria causada por um elemento exterior esta ligada a um prazer fisico, emocional ou mental. Quase todas estão. Em seguida, perceber que pode viver essa alegria sem medo, desde que não faça dela uma condição basica para se sentir feliz.
Atração e desejo caminham muito proximo um do outro e atuam mais no plano fisico de existência; por isso, os espiritos mais evoluidos ja aprenderam a lidar com eles.
Outras caracteristicas da atração são:
_pode ter origem em outra vida
_sempre gera o apego
_causa a repetição das situações
_nunca é satisfeita
_Leva a desvios morais, como roubo, sedução, mentira
_causa dor de constatar a perda do objeto do prazer
_é uma expressão do desejo mal-orientado
A aversão esta no polo oposto da atração. Dizemos que sua natureza é a mesma porque nascem untas; onde uma reside, mora potencialmente a outra. Tudo o que se diz da atração equivale ao contrario da aversão, pois ela faz o homem afastar-se daquilo que lhe causa dor ou infelicidade.
Os objetos da aversão são os mesmos que os da atração. Muitas vezes a origem esta em vidas passadas e as dificuldades presentes de se relacionar com uma pessoa ou situação torna-se algo insuportavel. Dizemos, nesse caso, que existe um condicionamento mental e que as sensações dominam o espirito.Tanto a aversão como a tração são ocasionadas por interferência espiritual negativa. A alma fica atada a niveis inferiores, qua a subjugam, podem atuar livremente.
Outras caracteristicas da aversão são:
_afasta-se dos objetos negativos dos sentidos
_tende a evitar qualquer especie de dor, o que dificulta a queima de karma, pois ele muitas vezes é eliminado com o sofrimento
_gera a desunião entre os espiritos
_cria barreiras
_cristaliza situações negativas
_destroi laços afetivos
_é contraria às leis da evolução espiritual
A maioria das pessoas considera que apenas as atrações prendem, sem conseguir perceber como a aversão é muito mais limitadora e negativa, pois ela nem ao menos traz satisfação. O odio, manifestação espiritual mais negativa, cuja origem esta nas aversões, mantém prisioneira a pessoa, pois aquele que o sente esta preso por varias vidas a uma situação ou pessoa.
Ao entender como se formam as atrações e as aversões, podemos começar a controla-las, tratando de eliminar sua existência na nossa alma. Ajuda bastante nesse sentido observar a vida com menos paixão e dedicar-se a fazer as ligações entre causa e efeito de todos nossos atos, pensamentos e palavras.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s