Carta zen 12 – Os benefícios de uma Terapia

Paris, 30 de maio de 2009

Na semana passada, fizemos uma pequena pausa em nossos pensamentos espirituais na tentativa de compreender melhor de que forma funciona nossa mecânica interna e porque nem sempre fazemos aquilo que sabemos ser o mais certo.
Hoje, pretendo mostrar a você (espero que consiga), o método de investigação que pratico em meu consultório desde 1983. Comecei com a psicanálise clássica e à medida que fui caminhando na vida, fui reinterpretando os métodos e reinventando formas cada vez mais eficazes de se atingir o inatingível: o inconsciente!
Hoje, não abro mão do conhecimento psicanalítico, mas modifiquei a técnica!
Parto do principio que a psicanálise é um método destinado a fazer reviver o passado, diria melhor: a fazer reviver as emoções vividas no passado. Se chegamos não somente a recordar, mas sobretudo sentir antigas experiências emocionais, então temos os melhores sinais que a cura é possivel. Como vemos, somos hoje a ressonância viva do nosso passado.
Ele nunca é puro:  é o fruto de uma incessante reconstrução. Se pensamos, por exemplo, na casa da nossa infância, vamos pensar numa casa grande e espaçosa, enquanto que se pudermos revê-la, tal como é, inevitavelmente nos surpreenderemos em descobrir que ela não é tão grande como imaginávamos.
O presente opera como uma lupa que deforma o passado.
Penso aqui num texto de Sartre sobre a lembrança, ” Quem decide? ” , interroga-se Sartre quando observa sobre seu passado, ” quem decide que o meu tempo de serviço militar foi um momento de desgraça? quem decide? (Insiste ele) que a separação do meu primeiro casamento foi uma ferida dolorosa ao invés de uma possibilidade, a de me ter permitido encontrar então a mulher da minha vida? ”
Quem decide por conseguinte do valor do passado? A resposta é clara!
o juiz que decide sobre a significado de tal ou tal acontecimento antigo não é outro senão o tempo presente, as exigências atuais do presente. O passado faz sentido quando está diante do presente.
Qualquer lembrança permanece indubitavelmente uma reconstituição do passado e nunca um reflexo fiel da realidade antiga.
E é diante desta verdade psicanalítica que devemos pensar sobre a técnica que nos ajuda na cura (eu chamo de cura sempre a tudo o que me faz evoluir assim como ao que me faz ficar sem sintomas):
A Terapia de regressão, que usa os instrumentos e a forma de percepção da psicanálise, adequada a uma técnica de fazer reviver as lembraças mais inconscientes, num estado ligeiramente alterado de consciência, é um método que faz reviver as emoções do passado que já foram retiradas do consciente ordinário.
É um método que permite, ao reviver o passado, reinterpretá-lo e remodelá-lo após reorganizá-lo mediante as conjunturas de hoje.
A rememoração de uma cena do passado, transforma o presente, num vai e vem permanente!
A terapia de regressão é um método de investigação que faz acontecer este « vai e vem » e utiliza a imaginação para sair do presente, se lançar dentro do passado e reviver as emoções que habitam nosso inconsciente.
Utilizamos comumente imagens visuais, mas também impressões sonoras, táteis, olfativas e gustativas.
Em seguida, utilisamos os instrumentos de interpretação psicanalíticos para compreender e modificar as impressões e registrá-las dentro de nós, permitindo desta forma que as impressões se modifiquem e permitam que criemos uma nova visão de nós mesmos para o futuro.
Finalizo dizendo que a investigação do inconsciente não “briga” com o conhecimento espiritual, pois pertencem a instâncias diferentes. Mesmo quando vamos rememorar vidas passadas, estas lembranças estão submetidas às leis do inconsciente. Como nos disse Freud, o inconsciente é atemporal!

Além disso, posso hoje , depois de adquirir conhecimentos parapsíquicos, utilizar técnicas de poder mental e transformar as experiências pessoais em auto curas através dos pulsos energéticos – a terapia Lumni.
Tenho certeza de que ainda temos muita coisa a descobrir a respeito do universo externo e interno, mas hoje, posso ver com mais clareza a extensão daquilo que somos e compreender que é possível investigar o inconsciente através da ciência psicanalítica, sem desconsiderar que somos seres espirituais.
Espero que estas minhas palavras suscitem questionamentos e que possamos crescer em função disso.
Tenham uma otima semana!

Um abraço a todos!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s