Carta zen 26 – O orgulho


Belo Horizonte, 05 de setembro de 2009
Caros amigos,
Da mesma maneira que fizemos com a ira, vamos entender o orgulho para podermos afastar conscientemente sua negatividade. Entendemos que se pode transformar uma emoção negativa, pela compreensão, já no instante em que o esclarecimento é obtido. Contudo, o hábito de agir negativamente pode já estar firmado, e isso vai exigir vontade e disciplina para mudar. Uma vez compreendido, isto é, esclarecido, tudo tem base para ser feito.
A educação dada pelos exemplos dos pais é determinante na nossa conduta; então, quem viu o pai irado ou a mãe orgulhosa, vai imitar esses modelos quando estiver em situação parecida. É realmente muito difícil superar o modelo. Quando a criança é educada com gritos, tornar-se-á um pai que grita, pois aprendeu que se educa assim. O peso pode se prolongar por gerações sem fim, até que um espírito mais esclarecido venha para cortar o “sistema educacional” dessa familia.
Agora, quanto ao orgulho, alguém poderia dizer que ele é a consequência do valor que se tem, sendo natural sentir-se orgulhoso de seu trabalho o homem bem sucedido, de sua familia a mãe dedicada, ou da vitória o atleta esforçado. O orgulho de que vamos nos ocupar é uma emoção negativa, que está relacionada com o sentimento de superioridade que leva alguém a se julgar melhor que os demais. Conseguir uma vitória é obter de Deus uma graça; isso não torna o vitorioso um homem melhor que os demais. Aliás, a vitória é, além de uma graça, um teste para o espírito.
A agressão causada pelas manifestações, dissimuladas ou não, do orgulho é causa de situações kármicas do mesmo tipo, durante encarnações posteriores. Por exemplo, quem ridiculariza uma pessoa por suas roupas modestas ou por sua fala pouco culta, posteriormente será alvo das mesmas atitudes e comentários ridículos por parte de alguém.
O mal do orgulho não é só o erro de se sentir diferente e especial, mas principalmente as ofensas que ele acarreta. A insolência, o desprezo, a ironia, o deboche, a idolatria, a vaidade, o despeito, a discriminação, o preconceito, as palavras depreciativas são modos pelos quais o orgulho se expressa.
Enquanto a humildade iguala os homens, tornando-os irmãos, o orgulho distancia as almas. O orgulho é tão insidioso, que até entre as pessoas que tentam em espírito pode-se notar um ou outro deslize. Ele pode ser observado naquele que já sabe mais dos temas do espírito, pois teve condições de instruir-se, como no que tem uma vida mais pacífica, sem tantas provas ou expiações, uma vez que se fez por merecer isso em vidas passadas.
Na próxima semana, vamos continuar estudando o orgulho.
Tenham todos uma otima semana.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s